Code Club – Clube do Código

É comum dizermos que as crianças de hoje em dia sabem “mexer” em computadores, tablets e smartphones. Mas, será que só isso basta? A sociedade contemporânea precisa de sujeitos que saibam não só utilizar de forma correta o que as novas tecnologias oferecem, mas também criar conteúdo a partir das novas tecnologias. Criar um texto em um blog, editar e postar vídeos, criar podcasts, editar e publicar fotos em redes sociais. Criar conteúdo, compartilhar, ajudar outras pessoas de alguma forma.

O ensino de linguagem de programação para crianças vem de encontro a essas necessidades. Isso é só papel da escola? Não necessariamente. O ensino de linguagem de programação para crianças pode acontecer também em ambientes não formais de ensino.

O Code Club (em português: Clube do Código ou Clube de Programação) é uma rede mundial de atividades extra-curriculares gratuitas, completamente gerenciada por voluntários, com o objetivo de ensinar programação de computadores às crianças.

Você pode se tornar voluntário de um Code Club e ajudar a ensinar criaças de 9 a a 13 anos a programarem, através do Scratch, seus próprios jogos, animações e outras ideias que tiverem. Eu participo a mais de 1 ano do Code Club Casablanca, que funciona na escola E. E. Prof. Renato Braga, localizada no Jardim Casablanca em São paulo Capital. A responsável é a Luciana Bezerra, que auxilia em torno de 5 voluntários atualmente. É um trabalho extremamente gratificante. Os alunos gostam muito e ficam encantados quando concluem as atividades propostas e veem o resultado.

Você também pode se tornar voluntário. Procure o Code Club mais próximo ou crie o seu próprio. Você pode utilizar o laboratório de alguma escola nos finais de semana por exemplo. No site do Code Club você encontra todas as informações necessárias de como criar um Code Club e como ter acesso ao material.

Anúncios

8 passos para levar ferramentas digitais para sala de aula

Fazer com que o professor se aproprie de ferramentas digitais em sala de aula não é tarefa tão fácil assim. Vários são os fatores influenciadores, dependendo da realidade em que o professor trabalha. É preciso não só conhecer as ferramentas digitais, mas também o currículo escolar e também como os alunos reagem ao uso dessas ferramentas. Achar que o fato dos alunos serem “totalmente” conectados vai facilitar as coisas, na minha opinião é um grande engano.

Sendo assim, é sempre bom pesquisar dicas que ajudam nesse processo de apropriação. A professora Débora Garofalo publicou no site Nova escola,8 passos para levar ferramentas digitais para sala de aula.

Veja os passos

Conheça

Compreenda recursos e softwares que podem ser incorporados a sua rotina escola. Google Drive e Google Sala de Aula são gerenciadores que permitem realizar trabalhos colaborativos, permitindo que vários documentos possam ser vistos e comentados por um grupo – com acesso inclusive por celular. É possível gerenciar pesquisas e aplicar avaliações tornando as aulas mais atrativas e dinâmicas.

Explore

Muitas ferramentas digitais promovem novas formas de realizar uma prática pedagógica e explorar habilidades e competências diversas.

Produção de vídeos, fotos, podcasts, slides e blogs. São ferramentas que podem ser usadas pelo celular, computador ou tablet e que enriquecem as aulas – por permitir dinamismo e também vivência. Uma aula pode ganhar muito com exibição de vídeos curtos ou fotos feitas pelos próprios alunos.

Planeje

Projete atividades em que a experimentação da aprendizagem esteja presente, valorizando o aluno no centro do processo de ensino e fazendo do professor o mediador dessa construção. Que tal criar um espaço maker, com materiais que são reaproveitados? Ao estabelecer espaços colaborativos dentro da sala de aula, o aluno pode inventar, criar e usar recursos diferentes para a resolução de problemas. Para criar um espaço maker, você precisará de algumas ferramentas, como chave de fenda, ferro de solda, tesoura, canetas, uma mesa, materiais de sucata e muita mão na massa para criar junto aos alunos.

Insira

O foco da educação hoje está no desenvolvimento de competências e habilidades. Aproveite para inserir as redes sociais em suas aulas, expandindo o aprendizado e dando espaço a um ensino mais personalizado. Edmodo, Blogger, Twitter e Instagram são redes sociais que permitem interação, personalização e a possibilidade de realizar trabalhos que expressem mais a vivência e a visão do aluno.

Incentive

Use e abuse das ferramentas de pesquisa na Internet. Nossos alunos necessitam de orientação em relação ao uso, como símbolos e palavras chaves. Indique bibliografias e sites úteis para que desenvolvam trabalhos com informação de qualidade e confiabilidade. Aproveite para abordar ainda assuntos como Segurança da Internet e Cyberbullying.

Crie

Estimule o contato com softwares (programas) autorais e a produção de trabalhos colaborativos. Movie MakerAudacity e Gimp são exemplos de programas que permitem realizar diversos tipos de trabalho, além de serem gratuitos.

Estimule

Traga o mundo imaginário dos alunos para a sala de aula, propiciando a produção de games e estimulando o raciocínio lógico, com o uso de softwares de programação. O Scratch é um programa recomendável e pode ser trabalhado de forma offline.

Compartilhe

Propicie momentos para compartilhar as atividades realizadas, incentivando os alunos a produzir seus próprios textos em formatos distintos. Eles poderão criar textos a partir das pesquisas realizadas na internet e em outras mídias e você pode ensiná-los a mencionar de maneira correta o crédito de autores e fontes pesquisadas.

As ferramentas digitais podem ser usadas como um grande propulsor à inovação, criatividade e inventividade por meio da experimentação – dando aos alunos a oportunidade de serem protagonistas, autorais e construtores da sua própria aprendizagem.

E você, tem algo a acrescentar? Compartilhe suas experiências conosco comentando nessa postagem.