Professor de informática também é gente

A última aula que eu ministrei antes de escrever esse post não foi nada boa, foi péssima na verdade. Ao ficar remoendo o que levou que isso acontecesse, reencontrei um post publicado pelo Onildo Henrique B. Filho no site Hardware. Eu tinha separado esse post para ler quando tivesse mais tempo e percebi que este seria um ótimo momento para lê-lo. O título do post é Ser ou não professor de informática? Gostei muito do post pois levanta pontos muito importantes, que são reais e que precisamos refletir sobre eles.

O primeiro é a formação dos professores. Sabemos que para lecionar em cursos livres não é exigido nenhum curso específico como técnico ou graduação. É comum em algumas escolas os professores serem alunos da própria escola que só fizeram um curso básico e que foram escolhidos pelo seu bom desempenho. Lógicamente que são a minoria mas isso já prejudica aqueles que realmente se prepararam e que tem conhecimento para ministrar as aulas com qualidade. Mas isso não quer dizer que o professor de informática é PHD no assunto. Quem é professor de informática sabe a dificuldade de nos mantermos informados, acompanhar o avanço da tecnologia.  Mas a maior e pior dificuldade é lidar com os alunos que “já sabem tudo”, que por exemplo aprenderam através de um vídeo tosco que encontraram no Youtube a formatar o computador e que estão ali simplesmente em busca do certificado. Nada contra vídeo aulas, elas ajudam e muito mas a explicaçãodo professor em sala de aula faz muita diferença. Existem outros conhecimentos que precisam ser adiquiridos para que a formatação seja melhor entendida. O aluno já vir para aula com algum conhecimento é muito bom, mas desrespeitar o professor por conta disso aí já é demais.

A falta de didática de muitos professores também é apontada nesse post. Didática é a forma como o conteúdo deve ser passado para que alunos de características diferentes consigam absorver da melhor maneira possível. Apesar de algumas escolas exigirem que o professor tenha curso superior de Pedagogia, a maioria não exige. Em alguns poucos casos a didática é algo nato, mas na maioria das vezes seria necessário que o professor procurasse um curso de didática para melhorar e muito sua aula.

Devemos parar e observar que não só professores de informática (tanto em cursos livres como graduação e superior) que em alguns casos não tem uma preparação adequada. Muitos cursos de Pedagogia também não preparam seus alunos pra enfrentar a realidade da sala de aula. Alguns professores também não se interessam em ser bons, somente em ganhar seu salário no final do mês. O que eu quero é lembrar que alguns (e eu me incluo) são professores porque gostam, porque escolheram o magistério como profissão e fazem o possível e o impossível para atender seus alunos da melhor maneira possível. Nem sempre conseguimos fazer um curso para nos aperfeiçoar, comprar um livro (os de informática estão pela hora da morte!) e que algumas escolas não oferecem o suporte necessário para que possamos trabalhar de forma correta. Parem e pensem melhor antes de nos julgar, de apontar o dedo e dizer que o professor tem que ter o Google mais a Wikipédia na cabeça.

Professor de informática também é gente e merecemos no mínimo respeito. Você professor que leu este post até o final, aproveite para comentar os problemas que você também enfrente no seu dia a dia. Vamos aproveitar e compartilhar nossas experiências.