Startup cria livros que se conectam ao celular e fazem o leitor conversar com os personagens

Tornar os livros mais vivos. Essa foi a ideia dos amigos Rafael EikiDaniela Morais e Rafael Lamarques quando decidiram tirar a Vivros do papel. Fundada em 2018, a startup produz livros físicos com um “toque” de interatividade. Com um celular em mãos, as crianças podem explorar as histórias e até mesmo conversar com os personagens.

Estudantes do curso de ciência da computação na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), os fundadores buscavam criar obras que instigassem a criatividade dos leitores.

“Nós queríamos estimular a leitura de livros físicos usando a tecnologia, diz Eiki.

A startup foi uma das finalistas da Imagine Cup Americana Latina 2018.

Mas afinal, o que é um “vivro”?


O conceito foi formulado pelos empreendedores e tem como princípio apresentar as histórias de uma forma diferente. Apesar de ser um livro físico, o “vivro”, como o produto foi batizado, contém um QR Code que interage com os smartphones (atualmente, disponível apenas para Android). Para ter acesso a essa função, as crianças precisam baixar o aplicativo da startup.

Dentro das páginas dos vivros é possível interagir com os personagens por meio dos chatbots e também jogar pequenos minigamesrelacionados ao conteúdo das narrativas. “Dependendo da interação da criança, cada história possui um final diferente”, explica o empreendedor.

As histórias


Clara perdeu seu anel e precisa encontrá-lo. Esse é um dos enredos de um dos vivros da startup, chamado “O Anel e as Coisas” , que tem como autores Rafael Eiki e Clarice Dellape. A partir da sua busca pela cidade, a personagem pode conversar com itens da história como chinelos e árvores para obter algumas dicas e encontrar o seu anel. Os objetos também podem ser vistos por meio da realidade aumentada.

“O Buraco” também é um dos livros interativos da empresa. A narrativa une uma lontra e um peixe em busca de descobrir por que a floresta está cheia de buracos. “Lendo essa história, as crianças vão aprendendo alguns conceitos de biologia marinha, por exemplo”, diz o estudante. 

Segundo Eiki, as interações não se restringem ao mundo virtual. Os vivros também têm imagens tridimensionais – ou seja, figuras que saltam das páginas. A obra se torna, assim, uma espécie de brinquedo em que é possível até mesmo fazer dobraduras.

O produto ainda não está sendo comercializado, mas a proposta é que os livros custem de R$ 40 a R$ 60. O público-alvo da startup são leitores de sete a 10 anos.

Anúncios

Árvore de Livros

A Árvore de Livros é a maior plataforma de leitura digital para escolas do Brasil, além de ser um serviço de apoio pedagógico completo. Os professores podem acompanhar de perto a leitura efetiva de seus alunos com as ferramentas disponíveis, como os relatórios por turma, os gráficos e o gerenciamento do acervo. Ainda é possível sugerir livros e atividades, tudo isso dentro da plataforma. Assista ao vídeo e saiba mais.

Dicas de leitura para as férias (ou para o resto da vida!)

As férias estão mal começando e precisamos aproveitar ao máximo. Eu procuro ler bastante durante todo o ano, mas nas férias eu dedico um tempo maior para essa atividade. Hoje eu acabei de assistir o vídeo Ampliflix31 onde o assunto era exatamente esse: Dicas de leitura para as férias. Esse vídeo faz parte do canal Amplifica no Youtube, criado pela Carla Arena e pela Samara Brito.

Eu listo abaixo quase todos os livros que foram citados durante o vídeo. Vocês vão perceber que não são somente livros da área de educação. No vídeo, a Carla Arena explica sobre a importância de lermos também livros que não são da nossa área especificamente. Eu concordo plenamente. Tem momentos que o cérebro da gente pede novos ares. Quando eu leio muitos livros seguidos sobre educação, parece até que estou lendo o mesmo livro várias vezes. É sempre bom variar, o que facilita que tenhamos novas ideias.

Segue a lista

De todos os citados, eu li somente 3: Ensino Híbrido, O Símbolo Perdido e Malala. Então, qual será minha meta para 2018? Ler todos os outros!!! Se você quiser me acompanhar nesse projeto é só me seguir no Instagram através da conta @cristianeacaciorosa ou pela hashtag #livrosamplificados

Antes de finalizar essa postagem, é claro que eu preciso deixar minhas dicas: Pedagogia do Cuidado: um modelo de educação social, escrito por Celso Antunes e pela sensacional Dagmar Garroux, mais conhecida como Tia Dag, fundadora da Casa do Zezinho. Minha outra indicação é o autor Robin Cook, criador da medicina literária.

E você, quais indicações literárias tem para nos dar? Deixe nos comentários dessa postagem.

Leitura e escrita de textos instrucionais

Leitura e escrita de textos instrucionais é um material para o professor, escrito e pensado também por professores, cada qual com diferentes experiências com a carreira docente. O objetivo principal foi organizar e publicar uma obra que pudesse contribuir com o planejamento e a atuação docente em atividades de linguagem, desde a Educação Infantil ao Ensino Médio, com ênfase nas práticas de análise linguísticas dos gêneros pertencentes ao agrupamento do instruir. Em cada um dos capítulos, o leitor-professor encontrará textos e atividades voltadas à leitura, produção textual, oralidade e análise linguística, que contribuirão em suas práticas de ensino de língua.

1ª Edição. Pipa Comunicação. 2016.
ISBN 978-85-66530-77-3
218 p. : Il., Fig., Quadros. (e-book). 1. Linguística. 2. Gêneros Textuais. 3. Leitura e Escrita. 4. Textos Instrucionais.

Consulte informações sobre cada formato no link: http://www.pipacomunica.com.br/livrariadapipa/formatos/

Fonte: Livraria da Pipa Comunicação