Minhas leituras em 2020

Se você me acompanha aqui no blog a algum tempo, já sabe da minha paixão pela leitura. Em janeiro de 2018 eu escrevi o post Dicas de leitura para as férias (ou para o resto da vida!), onde eu trazia uma lista com vários livros e dizia que minha meta para 2018 seria ler todos os livros daquela lista. Consegui? Não, mas isso não quer dizer que eu não tenha lido muito naquele ano. Daquela lista, li 4 livros, mas muitos outros foram aparecendo no caminho.

2019 foi o ano em que menos li nos últimos tempos. Foram somente 9 livros. Em 2020 consegui melhorar um pouco esse número, já que foram 12 livros. Em 2021, eu quero não só aumentar a quantidade de livros, mas principalmente a qualidade da leitura. E é claro, compartilhar tudo com vocês. Normalmente as postagens sobre livros acabam sendo feitas no meu perfil do Instagram, mas vou procurar trazê-los para cá de alguma forma também.

Como eu não quero ler sozinha, lancei no dia 1 de janeiro a campanha #LeituraDeProfessorNasFerias, que você pode conferir nessa postagem aqui do blog. Nela eu explico direitinho como você pode participar dessa campanha de incentivo não só a leitura, mas a aquisição de conhecimento.

Está sem ideia de qual livro ler? Fica tranquilo! Vou compartilhar com vocês os livros que li em 2020 para ajudar na sua escolha. Lá no meu perfil do Instagram, eu tenho dois destaques com muita dica de leitura também. Aproveita e me segue lá também :)

E você? Quantos livros leu em 2020? Compartilhe com a gente nos comentários qual foi sua leitura favorita.

Feliz Biblioteca Nova!

Quem gosta de livros levanta a mão!!! Você, que acompanhe fielmente este querido blog, já sabe que eu amooooo ler. Mas, se você só passa por aqui de vez em quando, aproveita e dá uma olhada no post Dicas de leitura para as férias (ou para o resto da vida!) pra entender minha paixão por leitura.

Bom, vamos ao que interessa. Você professor que ama ler, mas que infelizmente não tem muito acesso a livros, trago uma dica valiosa pra você. A Fundação Lemann criou o concurso Feliz Biblioteca Nova! É bem simples. Acesse o site do concurso, leia o regulamento, preencha seus dados e responda a frase: “Ter uma Biblioteca Essencial do Professor me ajudará a….”

Pronto, você já está participando! Será escolhida a melhor frase de cada estado do nosso querido país. É claro que eu já estou participando e super torcendo por mim mesma aqui no estado de São Paulo. Brincadeira, torço por todos vocês e que vença o melhor.

Os livros sorteados são:

  • Mentalidades Matemáticas – Estimulando o Potencial dos Estudantes por Meio da Matemática Criativa, das Mensagens Inspiradoras e do Ensino Inovador – Jo Boaler, da Universidade de Stanford (EUA)
    Editora Penso
  • Planejando o Trabalho em Grupo – Estratégia para Salas de Aula Heterogêneas Elizabeth Cohen (1932-2005) e Rachel Lotan, da Universidade de Stanford (EUA)
    Editora Penso
  • Ensino Híbrido – Personalização e Tecnologia na Educação Lilian Bacich, Adolfo Tanzi Neto e Fernando de Mello Trevisani
    Editora Penso
  • Gestão da Sala de Aula – Lições da Pesquisa e da Prática para Trabalhar com Adolescentes – Carol Simon Weinstein e Ingrid Novodvorsky
    Editora Penso
  • Rodadas Pedagógicas – Como o Trabalho em Redes Pode Melhorar o Ensino e a Aprendizagem – Richard F. Elmore, Lee Teitel, Elizabeth A. City e Sarah Fiarman
    Editora Penso
  • Avaliação em Sala de Aula – Conceitos e Aplicações – Michael K. Russell e Peter W. Airasian, da Escola de Educação Lynch, na Boston College (EUA)
  • O Significado da Mudança Educacional – Michael Fullan
    Editora Penso
  • Planejamento para a Compreensão – Grant Wiggins e Jay McTighe
    Editora Penso
  • Preparando os professores para um mundo em mudança – Linda Darling-Hammond e John Bransford

As inscrições podem ser feitas até o dia 25 de dezembro de 2019. O resultado será divulgado no dia 21 de janeiro de 2020.

Letramentos e tecnologias digitais: navegando pela sala de aula da educação básica

E para nossa alegria, foi lançado o quinto volume da Série Professor Criativo, intitulado Letramentos e tecnologias digitais: navegando pela sala de aula da educação básica. Será que eu gostei desse título? Gostei mais ainda quando vi esse vídeo que apresenta o livro.

Eu amo esse tipo de publicação pois divulga iniciativas maravilhosas que já estão sendo usadas por aí, prontinhas para você adaptar para o seu contexto e com isso ter novas ideias. O livro é digital e está disponível nas versões PDF, EPUB e MOBI. O preço é bem acessível e você não vai se arrepender. Eu já estou adquirindo o meu. Não perca tempo!

P.S: Não, isso não é publi. Quando o material é bom vocês sabem que eu recomendo com todo esse entusiasmo mesmo.

Livro: Guia de sobrevivência da educação inovadora

Eu amo quando a apresentação do livro começa assim: “Um livro prático…”. Pronto, já estou convencida a comprá-lo. Ando meio cansada de livros teóricos que trazem textos repetitivos e pouca reflexão. Acho que para professores é muito mais fácil quando o livro consegue unir a teoria com a prática de forma natural, o que facilita e muito nosso trabalho.

O livro Guia de sobrevivência da educação inovadora apresenta diversos olhares para apoiar você professor a realizar seu projeto ou trabalho em educação crescer cada vez mais.

O livro está em fase de pré lançamento e você já pode garantir o seu clicando aqui

O que você encontra nesse livro?

  • Prefácios da Priscila Cruz (Movimento Todos pela Educação) e Clessio Bastos (professor de escola pública rural em Goiás)
  • Introdução ao livro e porque trabalhei com pontos de vista de educadores e profissionais de outras áreas
  • Porque é importante conhecer sua turma
  • Base teórica, pra que te quero!
  • O desafio da colaboração
  • A arte de negociar
  • Trabalho bom é trabalho registrado
  • A importância de medir seu impacto
  • Nas manchetes do jornal: divulgue seu trabalho
  • Pagando as contas: dinheiro também importa
  • E essa saúde? Pensando na saúde integral dos educadores

Tenho acompanhado o Caio Dib e seu trabalho é bem significativo. Aproveite para conhecer o site mantido por ele chamado Caindo no Brasil.