Criada linguagem de programação tátil para deficientes visuais

Tenho escutado muito a frase:

Quem não programar será programado!

Não gosto de ser radical a esse ponto. Há várias formas de sermos programados e estamos esquecendo delas…mas, não foi para isso que eu sentei para escrever essa postagem. Bom, se você gosta de programação e acha que é importante oportunizar esse aprendizado para seus alunos para que, no futuro, eles decidam se querem ser programadores ou não, continua a leitura.

Pensando em oportunizar o aprendizado de programação para crianças com deficiência visual, a Microsoft criou a iniciativa Project Torino para crianças de 7 a 11 anos de idade. São blocos de diferentes tamanhos, formatos e cores, cada um com seu comando e sua função distinta. Como em outras linguagens de programação, os alunos poderão criar músicas, poesias, entre outras coisas.

Um dos nossos principais objetivos de design foi a inclusão. Nós não queremos isolar essas crianças novamente. Disse Cecily Morrison, uma das pesquisadoras do projeto.

O projeto ainda não está finalizado, mas é claro que eu estou super ansiosa para vê-lo em prática.

Anúncios

Encontros sobre educação e aprendizagem criativa

Aprendizagem criativa, mão na massa, impressora 3D, programação, prototipação e cortadora a laser. Você já deve ter ouvido falar sobre algum desses assuntos sendo utilizados na educação. Mas, você conhece bem esses assuntos? Já utiliza na sua escola?

Se você respondeu não as perguntas anteriores (ou mesmo que tenha respondido sim), a Casa de Makers oferecerá nos dias 
30/10/18, 06/11/18, 13/11/18, 27/11/18 e 04/12/18 cursos sobre aprendizagem criativa totalmente gratuitos. Uma ótima oportunidade para você que está louco para dar um up nas suas aulas mas não sabe como. Basta clicar aqui e preencher o formulário para realizar a sua inscrição.

Não vai estar disponível em todas essas datas? Não tem problema. No formulário você poderá informar se não poderá participar em algum desses dias.

Guia para construção do pensamento computacional – Programaê

Pensamento computacional: essa é uma habilidade muito importante que devemos desenvolver em nossos alunos. Como? Há muitas formas. Para ajudar você professor que ainda não sabe por onde como começar, mas também você professor, que quer refletir melhor o como fazer, o Programaê lançou o “Programaê! Um guia para construção do pensamento computacional“. 

O Guia…

…foi dividido em base teórica e “mão na massa“.
A base teórica foi dividia em seis eixos e em cada um deles são discutidos elementos significativos para a implantação da cultura digital e do pensamento computacional nas escolas brasileiras:

•Políticas Públicas

•Infraestrutura

•Aluno

•Gestão Escolar

•Currículo

•Formação de Professores

•Aluno

Cada tema apresenta informações, reflexões, práticas e dicas que foram organizadas em pequenos blocos. Sugerimos que, antes de utilizá-las, se faça uma leitura completa do Guia – afinal, a construção de uma aprendizagem significativa passa por envolver todos os sujeitos do âmbito escolar.

Na seção “mão na massa”, temos o conjunto de sequências didáticas que propõem a inserção de professores e estudantes na cultura digital e na lógica computacional. Essas sequências estão disponíveis logo abaixo, divididas entre os ciclos do ensino, para facilitar sua aplicação.

Dei uma olhada rápida pelo material e achei organizado de forma bem atrativa. Estou ansiosa para ler com calma e aproveitar ao máximo. Precisamos estar sempre em busca de novas formas para atender as necessidades dos nossos alunos.

Fonte: Programaê