reZOOM – Letramento Midiático + Curadoria de Notícias

O reZOOM é uma plataforma digital de letramento midiático e curadoria de notícias para um público muito especial: jovens que começam a ampliar suas noções de cidadania e estão conectados a todas as redes. O objetivo é auxiliar na forma como filtramos tantas notícias que recebemos a todo momento por meios diferentes. A plataforma trabalha as habilidades do campo jornalístico-midiático previstas na Base Nacional Comum Curricular (BNCC), desenvolvendo um olhar crítico na nova geração de leitores.

A plataforma oferece:

Fora Fake News: jogos e atividades para preparar a nova geração de leiotres, em meio à explosão de fake news. Workshops e projetos sobre jornalismo para escolas.

Curadoria de notícias: seleção de notícias, usando linguagem e visual pensados para o público adolescente. Filmes, playlists de músicas e vídeos para amplicar a informação.

Gamificação: área interativa em que o aluno é protagonista. A partir da nótícia do dia, ele atua como jornalista e vivencia as responsabilidades de quem dissemina a informação.

A plataforma me foi apresentada pelos jornalistas Daniela Machado e Vinícius Pinheiro, idealizadores do projeto. Eles foram muito atenciosos e me explicaram direitinho como funcina. A plataforma é bem recente e eles estão procurando escolas que queiram conhecer a plataforma, ajudando no aperfeiçoamento da mesma.

Gamificação pode ajudar a Educação à Distância

A educação à distância tem crescido exponencialmente nos últimos anos principalmente pela comodidade para aqueles que tem a vida corrida. Alguns ainda relutam em aderir a esse tipo de ensino muitas vezes pela falta de comprometimento. Para estimular esse tipo de ensino, incorporar características dos jogos, ou seja, a gamificação pode ajudar e muito. “Vejo pouca ou quase nenhuma exploração de dispositivos que usam recursos da gamificação no ensino a distância”, afirma o professor Gilberto Lacerda Santos, da faculdade de Educação da Universidade de Brasília (UnB) e especialista em tecnologia da educação.

Pontuação, prêmios, missões, desafios, ranking e criação de avatares, são exemplos de como o usuário pode se envolver com determinado assunto, tornando o estudo menos pesado. “Você coloca pinceladas da estratégia de jogos, mas não são jogos, para as pessoas entenderem atividades complexas. Elas têm função de motivar, de fazer o outro melhorar seu desempenho”, diz Santos.