Crianças, jovens e programação – Hipsters #65

https://hipsters.tech/?powerpress_embed=1262-podcast&powerpress_player=mediaelement-audio

Hoje em dia se fala muito sobre ensinar programação para todos – inclusive para as crianças. Mas será que vale a pena? O ensino de programação deveria ser obrigatório nas escolas?

Participantes:

Links:

Produção e conteúdo:

  • Alura Cursos online de Tecnologia
  • Caelum Ensino e Inovação

Edição e sonorização: Radiofobia Podcast e Multimídia

Fonte: Hipsters

Anúncios

Banco Internacional de Objetos Educacionais

O BIOE (Banco Intenacional de Objetos Educacionais) oferece possui objetos educacionais de acesso público, em vários formatos e para todos os níveis de ensino. Acesse os objetos isoladamente ou em coleções. Até a escrita dessa postagem, o banco possui 19.842 objetos publicados, 174 sendo avaliados ou aguardando autorização dos autores para a publicação. Sim, você também pode contribuir com o BIOE. Se você tem uma plano de aula inovador, você pode enviar para o BIOE e ajudar outros professores que tiveram essa mesma dificuldade. Pensou que legal?

Você pode refinar a pesquisa por país, lingua, tipo de recurso (animação, software educativo, etc…) ou nível de ensino.

Jogo do Castelo

Estou eu aqui pesquisando sobre jogos matemáticos e encontro essa gracinha que é o Jogo do Castelo criado pela Nova Escola. Nesse jogo, podem jogar até 10 jogadores, que precisam completar a sequência númerica. Veja as imagens abaixo:

sequência numéricaJogo do CastelojogadoresNa imagem abaixo você verá que eu, como jogadora, completei a sequência com o número 39. Basta clicar no botão ok e o jogo informará se está certo ou não. O jogador deverá completar todos os números que estão faltando.completar seqência

certoAo final, aparecerá uma telá com a pontuação, a opção de jogar novamente ou dar a vez para outro jogador.

fim do jogoInfelizmente, quando trabalhei como professora do Ensino Fundamental I não conhecia esse jogo. Com certeza as crianças gostariam muito mais de jogá-lo do que preencher “folhinhas” com sequência numérica.