O Incrível Pontinho Azul – Conceitos científicos para crianças

Conceitos cintíficos, na maioria dos casos, são um pouco complicados para entender não é mesmo? Explicá-los para crianças as vezes pode ser um pouquinho mais complicado. O projeto O Incrível Pontinho Azul oferece vários materiais com o objetivo de auxiliar na explicação desses conceitos ciêntíficos para crianças (e adultos também).

Eu assisto ao vídeo sobre massa e achei bem divertido.

Anúncios

Google Scrience Fair abre inscrições para a edição 2018-2019

A Google Science Fair abriu as inscrições para a edição 2018-2019. A Google Science Fair é uma competição global online desenvolvida para “inspirar adolescentes a resolverem problemas do mundo real através da aplicação da ciência, tecnologia, engenharia e da matemática”.

Este ano, a LEGO Education, a National Geographic, a revista Scientific American e a Virgin Galactic são os co-patrocinadores desta competição global.

Até ao próximo dia 12 de Dezembro, os jovens estudantes com idade entre 13 e 18 anos de todo o mundo podem participar submetendo online os seus projetos. Um painel de jurados de empresas tecnológicas e das áreas de engenharia, ciência e da matemática vão rever todas as candidaturas sendo que o anúncio dos vencedores regionais será realizado na primavera de 2019 e o anúncio dos finalistas globais em Julho do mesmo ano.

Este ano, os estudantes vão competir por uma bolsa de estudo no valor de 50 mil dólares sendo que os segundos e terceiros classificados e os vencedores regionais poderão também ganhar bolsas de estudo académicas e viagens promovidas pelas empresas patrocinadoras desta 6ª edição do Google Science Fair.

“Estamos entusiasmados por inspirar mais crianças a deixarem-se envolver pela ciência, engenharia, matemática e tecnologia”, afirmou Vint Cerf, vice-presidente e principal coordenador de Internet da Google e jurado da competição deste ano. “Acreditamos que cada ideia tem o poder de mudar o mundo – nenhuma ideia é pequena ou grande demais”.

Fonte: PC Guia

Khan Academy Kids

O Khan Academy já é o queridinho de muitos professores. E para nossa alegria, a ferramenta é constantemente melhorada. A última novidade é o Khan Academy Kids, para crianças con idade de 2 a 5 anos. O foco são as áreas de matemática, ciências, leitura, estudos sociais, dentre outras. Há também atividades voltadas à criatividade, como desenho e contação de histórias.

“Como pai, eu já passei pela fase ‘Ok, eu quero que meu filho aprenda de tudo’”, disse Sal Khan, presidente da emp01resa e pai de três crianças. “O problema é que existem muitas opções para muitos temas”. O Khan Academy Kids disponibiliza tudo em um só espaço e é desenhado a se adaptar ao ritmo de aprendizado da criança.

Os conteúdos foram elaborados por educadores de acordo com o currículo nacional dos Estados Unidos e está todo em inglês. Mas fiquem tranquilos, tenho certeza de que logo logo a Fundação Lemann vai traduzir todo o conteúdo para o português.

Telescópios na Escola

O programa educacional Telescópios na Escola visa o ensino em ciências utilizando telescópios robóticos para a obtenção de imagens dos astros em tempo real. Os telescópios são operados remotamente através de uma página web, não necessitando de conhecimento prévio em Astronomia.

O uso de telescópios em educação é uma forma agradável e eficiente para os alunos experimentarem ciência e tecnologia enquanto exploram a sua vizinhança no Universo. Os jovens, e aqui estão incluídos os professores, gostam de alcançar novos horizontes. Através deste programa, eles próprios passam a ser os exploradores; escolhem quais objetos estudar (estrelas, planetas, asteróides, cometas, galáxias, etc.); planejam e fazem as observações, com apoio dos membros do projeto; decidem como trabalhar com os dados e ainda aprendem como fazê-lo.

As atividades pedagógicas previstas objetivam desenvolver as habilidades e competências dos alunos no uso do método científico em projetos interdisciplinares, a partir de observações astronômicas, já que a astronomia éuma área interdisciplinar por excelência. Assim, os projetos pedagógicos deverão integrar as áreas de matemática (para correção de medidas, por exemplo), computação, física, química, história, geografia (com estudos sobre regiões e realidades sócio-culturais dos sítios de observação), antropologia (para estudos comparados sobre a diversidade cultural dos conceitos astronômicos), artes (representação simbólica e plástica de objetos astronômicos), mitologia, etc. Essas atividades terão níveis diferenciados de complexidade, que podem ser adequados aos vários graus do ensino e realidades regionais.

Um grupo de oito instituições acadêmicas em parceria com escolas de ensino médio e fundamental, sob a coordenação do IAG/USP, foi formado para implantar um programa piloto de estudos, pesquisas e observação astronômica direta, com utilização em tempo real de telescópios robóticos, originalmente chamado “observatórios virtuais”. As escolas estarão conectadas aos telescópios robóticos instalados nos observatórios das instituições envolvidas no projeto: IAG/USP (Valinhos, SP), Universidade Federal do Rio de Janeiro (Observatório do Valongo, RJ), Universidade Federal de Santa Catarina (Florianópolis, SC), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Porto Alegre, RS), Colégio Militar de Porto Alegre (Porto Alegre, RS), Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (São José dos Campos, SP), Universidade Federal do Rio Grande do Norte (Natal, RN) e na Universidade Estadual de Ponta Grossa (Ponta Grossa, PR).

Como observar

Para obter as imagens dos astros em tempo real, ou seja realizar as observações astronômicas, as escolas devem solicitar o uso de telescópio através do preenchimento de um formulário.
A equipe do projeto, após receber as inscrições, vai agendar uma data para cada escola e fornecer todas as informações necessárias para a realização das observações solicitadas. Algumas idéias de projeto já estão disponíveis, desde as mais simples até as mais sofisticadas. Para escolher o projeto mais adequado para sua escola, recomendamos a leitura do material didático referente às atividades sugeridas.

Em resumo, o procedimento para solicitar as observações é o seguinte:

1. Navegue até a webpage de um dos telescópios de sua escolha (Na página principal, clicar na imagem em que aparecem os telescópios. Ex: IAG, INPE, UFSC, e etc.).

2. Escolha uma das atividades sugeridas ou elabore seu próprio projeto.

3. Verificar datas disponíveis e escolher os dias de sua preferência. Isso pode ser feito através das informações no site de cada observatório ou, caso o observatório ainda não possua um site, através dos contatos fornecidos (endereço de email).

4. Preencher o formulário de solicitação de telescópio fornecido na webpage do telescópio escolhido. Novamente, caso o observatório escolhido não possua um site, entre em contato com a pessoa responsável.

5. Aguardar o contato por email dos membros da equipe do projeto, que enviarão as instruções para a realização das observações.

6. A equipe também fornecerá o apoio às escolas quanto ao uso das imagens astronômicas para atividades de ensino.

7. O software recomendado para o tratamento das imagens é o DS9. Clique aqui para ver o manual do usuário.

Fonte: Telescópios na Escola