Como você tem usado a tecnologia para avaliar seus alunos?

Ontem um professor me procurou através da minha conta no Instagram. Ele disse que estava assistindo aos vídeos do meu canal no Youtube, estava com dúvidas e perguntou se eu podia ajudá-lo. Eu perguntei como eu poderia ajudá-lo e a pergunta foi a seguinte:

Eu estou fazendo uma avaliação para uma turma e gostaria de saber se tem como embaralhar a ordem de respostas. Pra se um aluno perguntar a resposta pra outro, a alternativa não ser a mesma. Entende? (eu já embaralhei as perguntas). Daí queria saber se também tem como com as respostas.

Confesso que eu tive dificuldades em responder esse professor. Meu foco na verdade, naquele momento estava na forma como o professor estava planejando aquela avaliação. Na verdade o tema avaliação é algo que me inquieta há alguns anos.

O que faz mais sentido pra você: criar estratégias para que o aluno não cole durante a prova ou repensar suas formas de avaliar? Será que esse professor esta ensinando seus alunos de uma forma que eles estão somente se preocupando em “aprender para a prova”?

Trabalhei com um professor de geografia que permitia a consulta durante suas avaliações. Confesso que na primeira vez que presenciei, achei aquilo super estranho. Ele me disse que não fazia sentido nenhum os alunos decorarem informações que estão na internet disponíveis o tempo todo. Pra ele, os alunos tinham que conseguir interpretar a pergunta e saber encontrar as respostas quando necessário. Pra mim, isso faz todo sentido atualmente.

Precisamos deixar a decoreba de lado. Precisamos planejar aulas que engajem nossos alunos a buscar soluções, resolver problemas, serem curiosos. Se conseguirmos fazer isso, não precisaremos perder tempo criando estratégias para enganar nossos alunos durante uma avaliação.

Não estou aqui para dizer que não devem utilizar o Formulários Google para aplicação das avaliações, mas sim convidando-os para repensar a forma como avaliamos nossos alunos.

Experiências avaliativas de tecnologias digitais na educação

Esta publicação reúne artigos sobre as experiências apresentadas, e o presente texto procura realizar uma síntese – ciente de que toda síntese é restrita – sobre aspectos de atenção no curso de avaliações de projetos que almejam transformações educativas por meio de tecnologias digitais. O contorno dessas análises está circunscrito à relação de iniciativas digitais e escolas, escapando à dimensão complexa da coisa pública e das dinâmicas exigentes para a instalação de inovações em toda uma rede de educação, o que inclui os pontos aqui tratados, mas engloba outros que não couberam nos debates do painel.

A presente síntese está estruturada em três categorias, relacionadas com a avaliação do uso de tecnologias digitais em escolas públicas: a) sobre as condições de apropriação da tecnologia pela escola; b) sobre os campos de resultados reconhecidos de ações digitais em unidades escolares e que orientam os focos avaliativos; e c) sobre abordagens e métodos que definem procedimentos e operações da avaliação.

Para ter acesso a publicação, clique aqui.

Fonte: http://www.unesco.org.br