Pokemon Go: o que pode nos ensinar?

pokemon goNo último dia 03 de agosto foi lançado no Brasil o tão esperado Pokemon Go, jogo de realidade virtual desenvolvido para Smartphones, onde os jogadores andam para caçar Pokemons. Mesmo antes de chegar ao Brasil, já havia me deparado com notícias sobre as várias mortes causadas de forma indireta pelo jogo. Pessoas que, ao encontrar um Pokemon, esqueceram de prestar atenção ao atravessar a rua ou que não tinham asas para voar de um prédio. Na semana passada, após o lançamento no Brasil, só ouvia as pessoas criticando e lembrando sobre as várias mortes causadas pelo jogo, fora postagens no Facebook e WhatsApp sobre a origem duvidosa do jogo…

Fiquei então pensando, será que o jogo não nos oferece nada de bom? Poderia ser usado como ferramenta educacional? Foi aí que comecei a me deparar com um outro lado do jogo. Em Rio Preto – SP, uma professora já utilizou o jogo para ensinar geografia para seus alunos. Uma mãe comemorou na cidade de Bauru – SP que, após o lançamento do jogo, seu filho, que nunca gostou de praticar nenhum tipo de esporte, agora acorda bem cedo para caminhar em busca de novos Pokemons. Outra história, a que mais me chamou a atenção, foi a de Adam Barkworth, adolescente britânico de 17 anos. Adam tem autismo e não saia de casa pois o barulho lhe incomodava muito. Hoje, ele passa horas caminhado pela rua a procura de novos Pokemons e ainda interage com outras pessoas.

Acredito que inúmeros jogos não nos acrescentam em nada, mas não devemos generalizar. Esses três casos que cite nos mostram que nem tudo tem apenas seu lado negativo. Meu objetivo não é patrocinar o jogo, não estou ganhando nada com isso. Só acho que, principalmente nós educadores precisamos estar mais a par do que acontece no mundo de nossos alunos e lhes mostrar como as coisas podem ser aproveitadas para o bem.

Anúncios

Can Game

O Can Game é um aplicativo para tablet ou smartphone que auxilia no tratamento do autismo. Por meio do aplicativo, o usuário tem acesso a uma agenda que será organizada com imagens selecionadas pelo responsável. No dia e na hora desejada, as imagens serão ativadas como uma forma de proporcionar um lembrete à criança da atividade que ela precisa executar. O registro das interações pode ser acessado pelo responsável até mesmo à distância.

O Can Game foi desenvolvido de acordo com a fase da vida de de cada usuário: criança, jovem e adulto, já que as necessidades são diferentes, assim como especificidades e absorção do tratamento. Uma ferramenta como essa pode ser importante para promover o desenvolvimento social e a autonomia dos que sofrem com o autismo. Você pode baixá-lo através do Google Play.

PCVoz

O PCVoz é um programa desenvolvido para o sistema Android que une imagens e sons objetivando facilitar a comunicação de crianças com dificuldades na fala. O programa se vale da tecnologia TTS, que nos dias de hoje está presente na maioria dos Tablets e Smartphones do mercado, transformando textos em som.

Atualmente, o PCVoz vem sendo utilizado não só com crianças autistas como também com quelas que apresentam outras disfunções na fala, leitura e escrita com o objetivo de facilitar a expressão de suas emoções e necessidades. A primeira preocupação dos profissionais que desenvolveram esse aplicativo foi a de proporcionar aos pacientes uma alternativa de qualidade, mas de baixo custo, que fosse acessível a maioria das pessoas.

O download pode ser feito PCVoz.