Poetweet – transforme seus tuítes em poesia

Eu criei minha conta no Twitter em 2009 para não perder nenhuma novidade da banda Cordel do Fogo Encantado. Mas, tomei gosto pela ferramenta. Passava o dia inteiro acompanhando os tuítes de vários perfis e separando conteúdo para compartilhar, principalmente aqui pelo blog. Depois de um tempo acabei me afastando um pouco, mas tenho me empenhado para voltar a ser mais ativa na rede.

Na semana passada eu conheci o Poetweet, site brasileiro que transforma posts do Twitter em poesia. A ideia é do site brasileiro b_arco, um centro cultural de pesquisa, reflexão, troca e criação de arte e cultura.

Como você pode ver na imagem acima, o site é muito simples. Basta você informar seu usuário na rede social. Em seguida, você deverá escolher entre três possíveis formas para o seu poema: Soneto, Rondel ou Indriso.

Depois disso, basta esperar alguns segundos enquanto o Poetweet escolhe algumas das suas postagens para transformar em um poema.

Eu escolhi o Indriso e essa foi a minha poesia. Pra mim não fez muito sentido, mas achei muito legal a proposta da ferramenta. É claro que o resultado do poema vai depender totalmente das postagens que você faz na rede. A criação de poemas com base nas postagens do Twitter também pode ser feita de forma manual. Basta pedir para que seus alunos escolham eles mesmos algumas postagens, deles ou de alguma pessoa famosa por exemplo e estruturem os poemas. Tenho certeza de que eles vão adorar esse desafio.

Como sobreviver nas redes sociais

Rede social não é só fazer a postagem e esperar os likes. Você também consome o conteúdo de outras pessoas. E como você analisa esse conteúdo? Como você protege suas informações?

Calma. A DW criou uma playlist no Youtube chamada Como sobreviver nas redes sociais. São vídeos bem legais que vão te dar várias dicas. Nela você vai encontrar os seguintes títulos:

Assista aos vídeos e compartilhe para que outras pessoas tenham acesso a essa informação.

Sínteses no Storys do @Instagram

Se você me segue a algum tempo, sabe que sou apaixonada por #F1. Normalmente, não perco uma corrida. Assistir ao GP do Brasil em Interlagos, depois que me mudei pra São Paulo, não perco mesmo!!!

Mas, nem sempre as coisas saem como a gente quer. Hoje mesmo (dia em que escrevo essa postagem), precisei ir ao mercado, fui logo cedo, mas as outras pessoas tiveram a mesma intenção que eu, então, acabei perdendo o começo da corrida. Assistir uma parte e fui para a academia. Lá, consegui assistir boa parte da corrida. Mas, acabei perdendo o final. Porque estou te contando toda essa história?

Hoje em dia, quando esse tipo de coisa acontece, já não fico mais tão preocupada, pois eu sigo o @Crashf1 no #Instagram. Essa conta faz um resumo bem legal da corrida com os fatos mais importantes. É claro que não é a mesma coisa do que assistir a corrida em tempo real, mas me ajuda muito.

Mas Cris, porque você está contando essa história toda? Porque tudo isso me fez pensar no contexto educacional é claro! Quando eu estava na sexta série (poucos dias atrás), eu tinha uma professora de Ciências que pedia sempre pra que fizéssemos resumos dos capítulos do livro. Eu odiava aquilo, era muito chato. Quem sabe se naquela época já existisse o recurso de Storys do Instagram, e a professora pedisse pra que a gente fazer a resumo utilizando esse recurso, eu não fosse uma pessoa tão traumatizada kkkk. Tenho até vontade de voltar no tempo, e criar os resumos utilizando Storytelling e o Storys do Instagram. Seria sensacional!

Hoje em dia há tantas ferramentas que podem ser utilizadas pelos alunos para demonstrar o que compreenderam de um conteúdo específico. Isso é empolgante não só para o aluno, mas também para o professor. Já pensou que você também pode utilizar essas ferramentas para fazer o resumo de algum resumo em específico e publicar em alguma rede social sua? Crie uma hashtag específica da sua disciplina ou de um assunto para que seus alunos possam acompanhar. Essa é uma ótima forma de mostrar que as redes sociais podem ser utilizadas também para o aprendizado.

E você, qual foi sua última super sacada em relação ao uso de tecnologias na educação? Compartilha com a gente.