Letramentos e tecnologias digitais: navegando pela sala de aula da educação básica

E para nossa alegria, foi lançado o quinto volume da Série Professor Criativo, intitulado Letramentos e tecnologias digitais: navegando pela sala de aula da educação básica. Será que eu gostei desse título? Gostei mais ainda quando vi esse vídeo que apresenta o livro.

Eu amo esse tipo de publicação pois divulga iniciativas maravilhosas que já estão sendo usadas por aí, prontinhas para você adaptar para o seu contexto e com isso ter novas ideias. O livro é digital e está disponível nas versões PDF, EPUB e MOBI. O preço é bem acessível e você não vai se arrepender. Eu já estou adquirindo o meu. Não perca tempo!

P.S: Não, isso não é publi. Quando o material é bom vocês sabem que eu recomendo com todo esse entusiasmo mesmo.

Anúncios

Startup cria livros que se conectam ao celular e fazem o leitor conversar com os personagens

Tornar os livros mais vivos. Essa foi a ideia dos amigos Rafael EikiDaniela Morais e Rafael Lamarques quando decidiram tirar a Vivros do papel. Fundada em 2018, a startup produz livros físicos com um “toque” de interatividade. Com um celular em mãos, as crianças podem explorar as histórias e até mesmo conversar com os personagens.

Estudantes do curso de ciência da computação na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), os fundadores buscavam criar obras que instigassem a criatividade dos leitores.

“Nós queríamos estimular a leitura de livros físicos usando a tecnologia, diz Eiki.

A startup foi uma das finalistas da Imagine Cup Americana Latina 2018.

Mas afinal, o que é um “vivro”?


O conceito foi formulado pelos empreendedores e tem como princípio apresentar as histórias de uma forma diferente. Apesar de ser um livro físico, o “vivro”, como o produto foi batizado, contém um QR Code que interage com os smartphones (atualmente, disponível apenas para Android). Para ter acesso a essa função, as crianças precisam baixar o aplicativo da startup.

Dentro das páginas dos vivros é possível interagir com os personagens por meio dos chatbots e também jogar pequenos minigamesrelacionados ao conteúdo das narrativas. “Dependendo da interação da criança, cada história possui um final diferente”, explica o empreendedor.

As histórias


Clara perdeu seu anel e precisa encontrá-lo. Esse é um dos enredos de um dos vivros da startup, chamado “O Anel e as Coisas” , que tem como autores Rafael Eiki e Clarice Dellape. A partir da sua busca pela cidade, a personagem pode conversar com itens da história como chinelos e árvores para obter algumas dicas e encontrar o seu anel. Os objetos também podem ser vistos por meio da realidade aumentada.

“O Buraco” também é um dos livros interativos da empresa. A narrativa une uma lontra e um peixe em busca de descobrir por que a floresta está cheia de buracos. “Lendo essa história, as crianças vão aprendendo alguns conceitos de biologia marinha, por exemplo”, diz o estudante. 

Segundo Eiki, as interações não se restringem ao mundo virtual. Os vivros também têm imagens tridimensionais – ou seja, figuras que saltam das páginas. A obra se torna, assim, uma espécie de brinquedo em que é possível até mesmo fazer dobraduras.

O produto ainda não está sendo comercializado, mas a proposta é que os livros custem de R$ 40 a R$ 60. O público-alvo da startup são leitores de sete a 10 anos.

O Mistério do Sr. Gratus – história interativa

Semana passada, a Netflix lançou o primeiro filme interativo. Eu amei o filme, pois me remeteu a minha adolescência, quando li um livro interativo, que oferecia dois rumos para a mesma história. Comentei sobre isso na minha conta no Instagram, e a Storymax me indicou O Mistério do Sr. Gratus, um livro-jogo interativo em que cada leitor constrói a narrativa enquanto lê.

Amanda é uma menina curiosa e corajosa que, acordada numa manhã por sua gata, mergulha numa aventura cheia mistério. As descobertas e aprendizados da menina vão fazê-la entender que o futuro é feito de pequenas escolhas diárias e depende de cada um de nós.

Conceitos científicos são transmitidos de um jeito divertido pela narrativa e ainda são detalhados numa área específica com conteúdo-extra dentro do app, desenvolvido por especialistas em divulgação de Ciência: evolução, cadeia alimentar e equilíbrio ecológico, sistema de defesa do corpo e meio-ambiente. Os responsáveis pela literatura e pelo conteúdo científico são autores especializados em divulgação da Ciência: Carlos Orsi (literatura) e Natalia Pasternak Taschner (conteúdo-extra).

Você vai encontrar:

  • 46 telas de conteúdo literário interativo
  • 15 telas de conteúdo informativo de Ciência, sobre cadeia alimentarequilíbrio ecológico, inflamações e evolução pela seleção natural
  • 10 modos diferentes de ler e criar a história
  • Exclusivo mapa em que o leitor pode ver o trajeto escolhido e quais opções ainda não desvendou

Eu amei o app, que apresenta gráficos ótimos e uma trilha sonora muito empolgante. Ele está disponível na Google Play Store. Tenho certeza de que você vai gostar muito. Assista ao vídeo abaixo e entenda melhor como funciona.

Livro: Guia de sobrevivência da educação inovadora

Eu amo quando a apresentação do livro começa assim: “Um livro prático…”. Pronto, já estou convencida a comprá-lo. Ando meio cansada de livros teóricos que trazem textos repetitivos e pouca reflexão. Acho que para professores é muito mais fácil quando o livro consegue unir a teoria com a prática de forma natural, o que facilita e muito nosso trabalho.

O livro Guia de sobrevivência da educação inovadora apresenta diversos olhares para apoiar você professor a realizar seu projeto ou trabalho em educação crescer cada vez mais.

O livro está em fase de pré lançamento e você já pode garantir o seu clicando aqui

O que você encontra nesse livro?

  • Prefácios da Priscila Cruz (Movimento Todos pela Educação) e Clessio Bastos (professor de escola pública rural em Goiás)
  • Introdução ao livro e porque trabalhei com pontos de vista de educadores e profissionais de outras áreas
  • Porque é importante conhecer sua turma
  • Base teórica, pra que te quero!
  • O desafio da colaboração
  • A arte de negociar
  • Trabalho bom é trabalho registrado
  • A importância de medir seu impacto
  • Nas manchetes do jornal: divulgue seu trabalho
  • Pagando as contas: dinheiro também importa
  • E essa saúde? Pensando na saúde integral dos educadores

Tenho acompanhado o Caio Dib e seu trabalho é bem significativo. Aproveite para conhecer o site mantido por ele chamado Caindo no Brasil.