IsaBot: promovendo uma internet mais segura

A violência contra a mulher acontece não só no mundo real, mas também no virtual. Ainda bem que ganhamos uma aliada: IsaBot, a robô virtual.

IsaBot está disponível no Messenger do Facebook e no Google Assistente desde o final de novembro de 2019. Ela oferece informações e ajuda imediata para mulheres que sofrem violência no ambiente virtual, como o compartilhamento de imagens sem autorização e assédio. Isa é um acrônimo para “informação”, “segurança” e “acolhimento”, tudo o que precisamos em situações desagradáveis não é mesmo.

A iniciativa surgiu a partir dos projetos Conexões que Salvam, da organização Think Olga, e Mapa do Acolhimento, do Nossas.org. Ambos os projetos têm como foco a proteção de mulheres contra a violência nas redes e fora delas — o Mapa do Acolhimento, por exemplo, conecta vítimas a psicólogas e advogadas. A robô virtual tem também apoio do Facebook, do Google e da ONU Mulheres.

Eu testei a IsaBota através do Google Assistente e gostei do resultado. Abaixo as imagens para ilustrar seu funcionamento. Compartilhe para que outras mulheres conhecem e use se achar necessário. Ajuda é sempre bem vinda!

Soletrando do Caranga

Uma das melhores lembranças que eu tenho dos anos iniciais da escola são os momentos em que a professora fazia ditado. Era tão empolgante! Eu ficava olhando bem concentrada para a professora e, assim que ela falava a palavra eu já começava a escrever. Bons tempos aqueles. Hoje em dia muitos professores veem essa prática como ultrapassada. O ditado trás muitos benefícios e você pode conferi-los aqui. É claro que você não vai fazer um ditado tradicional como a minha professora fazia. Você pode utilizar de características da gamificação por exemplo.

Você pode começar apresentando para seus alunos o jogo Soletrando do Caranga. Confesso que a escrita dessa postagem demorou mais do que o normal pois fiquei “testando” por um bom tempo esse jogo. Desenvolvido pelo Instituto Caranguejo de Educação Ambiental, neste jogo um caranguejo bem fofo vai dizer uma palavra e você precisa escrever essa palavra letra por letra. São oferecidas duas opções de jogo: com ou sem contagem de tempo.

Tenho certeza que seus alunos vão amar essa nova forma de praticar a escrita das palavras. Conhece outros jogos interessantes? Compartilha com a gente através dos comentários dessa postagem.

Buscador de obras com licença Creative Commons

A Creative Commons é uma organização internacional sem fins lucrativos fundada em 2001 e sediada em Mountain View, na Califórnia. Seu propósito é aumentar a quantidade de obras disponíveis por meio de licenças padronizadas, que permitem sua cópia, difusão e, em alguns casos, até mesmo sua edição. Para tanto, a entidade cria modelos de licenciamento que podem ser facilmente adotados por criadores de conteúdo para seus trabalhos, em licenças conhecidas exatamente como Creative Commons.

Em março de 2019, a empresa lançou uma iniciativa que tem como objetivo facilitar o acesso a essas obras. Trata-se de um buscador chamado CC Search, que passou anos sendo testado em modo beta e agora está oficialmente lançado. O mecanismo organiza mais de 300 milhões de imagens que fazem parte de 19 coleções. De acordo com informações do site Open Culture, dedicado à promoção de conteúdo gratuito, isso inclui obras de instituições como o museu Metropolitan de Nova York, do Cleveland Museum of Art, ambos nos Estados Unidos, fotos disponibilizadas na plataforma Flickr, entre outros. No site, é possível realizar buscas de obras com licença creative commons no geral, e também refinar a busca de acordo com o tipo específico de licença desejado. Por exemplo: licenças CC BY-SA são as que dão o maior grau de liberdade. Elas permitem a outros remixarem, adaptarem e criarem a partir de um trabalho original.

A imagem que ilustra este texto, de Irina Rosca, tem licença BY-ND 4.0 e pode ser reproduzida mesmo comercialmente, mas não editada. Já licenças BY-NC-ND são as mais restritivas. Elas permitem apenas que terceiros façam o download de trabalhos e os compartilhem, atribuindo crédito ao autor. Não é permitido alterar os trabalhos, ou usá-los para fins comerciais.

Fonte: Jornal Nexo