Benefícios da programação computacional em práticas pedagógicas

A educação está cada vez mais empenhada em buscar novas formas de formas de ensinar que preparem nossos alunos de uma forma integral. Seymour Papert, pioneiro no uso do computador como ferramenta de aprendizagem, define a programação de computadores como a ação de comunicação entre usuário e máquina por meio de uma linguagem que ambos entendem.

Através do ensino da linguagem de programação em sala de aula, podemos desenvolver várias outras habilidades como a resolução de problemas, criação de soluções para questões reais, desenvolvimento do raciocínio lógico, entre outras.

Se você quer saber mais sobre o assunto, o Instituto Ayrton Senna disponibiliza um e-book sobre o assunto. No e-book você também encontra:

  • As competências socioemocionais desenvolvidas por meio do trabalho com a programação computacional;
  • Quais os resultados esperados dessa ação;
  • Como levar essa prática para a sala de aula.

Para baixar, clique aqui, preencha um rápido cadastro e tenha acesso ao material.

“A Galera do Suninho” – Educação financeira

Sim, eu tenho problemas financeiros. Deveria estar rica? Acho que não, mas eu deveria sim ter mais dinheiro na minha poupança. Isso ficou claro pra mim no final do ano passado quando fui demitida. Se eu tivesse um planejamento financeiro adequado, eu poderia ter tranquilamente aguardado uma boa proposta de trabalho ao invés de ficar desesperada com os boletos chegando…Mas enfim, vocês não acompanham esse blog para saber dos meus problemas pessoais.

Educação financeira precisa sim estar mais presente na vida de todos nós. Foi pensando nisso que a casa de análises de investimentos Suno Research criou A galera do Suninho, uma séria de histórias em quadrinhos sobre educação financeira. O público alvo são crianças e jovens, mas a gente sabe que tem muito adulto precisando desse tipo de material.

As publicações são gratuitas, disponíveis para acesso online ou para download. Basta fazer um cadastro clicando aqui. As histórias são sobre Suninho e seus amigos em situações do dia a dia relacionadas ao uso de dinheiro. Os episódios são curtos, com tempo estimado para leitura de 5 minutos. Essa material ajudará principalmente os pais e responsáveis a conversarem com seus filhos sobre um tema muitas vezes um pouco complicado. Assista ao vídeo abaixo e saiba mais.

Professor, recarregue suas energias!

Você que é professor ou que de alguma forma trabalha com educação, sabe que dificilmente conseguimos nos desligar do trabalho. Podemos não estar dentro da escola, mas ela está dentro de nós o tempo todo.

Estamos sempre lendo um livro, artigo ou noticia sobre o assunto, procurando cursos, workshop ou palestras, desbravando as redes sociais em busca de novidades. Nossa cabeça está o tempo todo ligada no assunto educação. Isso é bom? Depende, tudo em excesso é prejudicial. Precisamos também ter momentos para se desligar e relaxar um pouco.

Pensando nisso, a equipe sensacional da Fundação Lemann criou o Guia Tchau, 1º Semestre, com várias dicas para você relaxar e cuidar um pouquinho de si mesmo.

Você encontra no Guia:

  • Hora do balanço
  • Pausa para desconectar
  • Playlist para relaxar
  • Dicas para curtir a folga

Eu já estou ansiosa para colocar todas essas dicas em prática! E você, quais são suas dicas para relaxar? Compartilha com a gente nos comentários.

Experiências avaliativas de tecnologias digitais na educação

Esta publicação reúne artigos sobre as experiências apresentadas, e o presente texto procura realizar uma síntese – ciente de que toda síntese é restrita – sobre aspectos de atenção no curso de avaliações de projetos que almejam transformações educativas por meio de tecnologias digitais. O contorno dessas análises está circunscrito à relação de iniciativas digitais e escolas, escapando à dimensão complexa da coisa pública e das dinâmicas exigentes para a instalação de inovações em toda uma rede de educação, o que inclui os pontos aqui tratados, mas engloba outros que não couberam nos debates do painel.

A presente síntese está estruturada em três categorias, relacionadas com a avaliação do uso de tecnologias digitais em escolas públicas: a) sobre as condições de apropriação da tecnologia pela escola; b) sobre os campos de resultados reconhecidos de ações digitais em unidades escolares e que orientam os focos avaliativos; e c) sobre abordagens e métodos que definem procedimentos e operações da avaliação.

Para ter acesso a publicação, clique aqui.

Fonte: http://www.unesco.org.br